Burocracia, Max Weber

Com o desenvolvimento tecnológico, é cobrado cada vez mais das atividades administrativas um aperfeiçoamento para poder acompanhá-lo. Com isso, as grandes empresas precisaram desenvolver técnicas de organização que permitem uma previsão de todas as ações, para garantir o lucro e seu crescimento.

Max Weber

Max Weber

A organização, presente em diferentes aspectos da nossa vida, é um tipo de manifestação do racionalismo humano. Partindo desse ponto, a burocracia consiste na forma de organização do Estado. Este conceito resulta da concepção de autoridade legal, em Weber, que é exercida por funcionários que obedecem a uma norma de conduta bem estabelecida. Segundo ele, a organização é eficiente, pois é puramente racional, mas para isso, deve-se detalhar as coisas que ainda acontecerão, definindo antecipadamente como a organização deverá funcionar.

Em nosso contexto, a burocracia ganhou um sinônimo errôneo de papelada e demora, mas é justamente o oposto do que propôs Weber, pois, segundo ele, esse modelo de organização facilita todo o processo de desenvolvimento administrativo numa corporação.

Um Estado que seja orientado em termos legais possui uma racionalidade que permite a previsão da ação, pois caso contrário não se tem capitalismo, não se tem ação econômica que possibilite rendimentos. A garantia de uma previsibilidade é necessária e isso o Estado racional, legal, permite. Precisa-se de garantias para a existência de empresas que forneçam lucro, que é essencial para o capitalismo, o retorno financeiro para o proprietário. E para isso, precisa-se também de um Estado equipado para produzir e implementar políticas, ou seja, é necessário um aparato administrativo eficiente no Estado. Esse aparato é a chamada burocracia.

bureaucracy_stampingA burocracia é um tipo de norma que busca atender não os interesses pessoais, mas parte para uma lógica racional buscando o melhor para o coletivo, estabelecendo uma ordem. Essa ordem pode ser garantida, pois, com a burocracia, os funcionários tem conhecimento exato dos seus deveres e do que deve ser feito, e isso também possibilita uma rapidez nas decisões, além de evitar a discriminação, pois com ela já se pode prever a decisão a ser tomada. Por ser formal e escrita, ela também reduz custos e erros e, uniformizando a rotina e os procedimentos, favorece a padronização. Nesse modelo, está vigente a hierarquia dos cargos, onde cada funcionário é subordinado por um supervisor, que é estabelecida por meio de regras limitadas e claras. A racionalização da burocracia, para Weber, é o que garante a eficiência do seu funcionamento.

A burocracia acabou concentrando a atenção do Weber para entender quais são os limites de um capitalismo competitivo de mercado, pois a ela não gera novas políticas, não toma novas iniciativas, simplesmente age rotineiramente. O problema do Weber é que esse corpo burocrático funciona muito bem assim e, gradativamente, vai se consolidando, pois conhece cada vez melhor as rotinas e dessa forma, a burocracia vai impondo o modo rotineiro de operar sobre a sociedade, incluindo nisso o próprio Estado, ou seja, a dimensão política da sociedade, impondo-se também às empresas. Contudo, a política não pode depender-se da rotina. Em função disso, Weber constrói toda uma análise sobre os descompassos entre o burocrático e o político. O burocrata quer que tudo continue do modo como está habituado, podendo-se prever as consequências. Já o foco político deve estar nas necessidades de novas ações, novos projetos e novos programas para a sociedade toda. A questão é saber quem vai subordinar quem. E a aposta do Weber era no político, pois seu grande medo era uma sociedade submetida a uma espécie de rotina.

Apesar dos aparentes benefícios da burocracia, que realmente estão presentes nos processos de organização, obtêm-se também Morto pela burocraciaalgumas desvantagens, como o trabalho em função das regras e regulamentos. Isso faz com que a racionalização da burocracia perca o sentido, já que a flexibilidade também é característica da razão. Por ter caráter impessoal, a burocracia faz com os relacionamentos interpessoais se enfraqueçam, pois os cargos se tornam mais importantes do que as pessoas.

As mudanças também devem ter valor numa organização, mas esta, adaptada à rotina, reage àquelas como sendo uma ameaça a sua segurança, tornando-as indesejadas. O próprio Weber reconhecia a importância das novas ações, pois temia que a sociedade fosse subordinada pela rotina. A flexibilidade aliada à burocracia garantiria um sucesso ainda maior, em determinada circunstância, à corporação, e ainda, à sociedade.

Anúncios